Engenheiro eletricista pela Escola Politécnica da U.S.P., é clarinetista e compositor de Jazz, com um vasto curriculum internacional. Foi elogiado e teve fotos suas publicadas no WASHINGTON POST e no NEW YORK TIMES. Tocou durante mais de dez anos no circuito dos Festivais de Jazz; em New Orleans, Lyon, Buenos Aires, em Breda (Holanda), em Cheserex e Ascona (Suiça ), em Askersund e Linköping (Suécia), Cantanhede (Portugal), na Europa, residiu na Alemanha e na Suíça onde freqüentou o Instituto Jung de Psicologia Analítica em Küsnacht (Zurique). É Band-Leader de sucesso há mais de 50 anos.

Tito queria tocar musica clássica, e com dez anos frequentou as aulas de piano na casa de uma professora rigorosa que o expulsou depois que ele desmontou o piano para ver como funcionava. Só veio a descobrir o Jazz quando fazia o cursinho para a Faculdade; seu colega de classe Peter Dakowski ensinou-o a tocar banjo, que foi seu primeiro instrumento.

Ao ingressar no ITA, foi obrigado a aprender clarinete de trote, por um veterano que por sorte era clarinetista e que foi seu primeiro e único orientador. Ao mudar de Faculdade para a Escola Politécnica, onde se formou Engenheiro Eletricista, criou em 1962 um conjunto de estudantes que depois batizou de Traditional Jazz Band, juntamente com André Busic ao cornet, Alberto Siufi na tuba e Reynaldo Mayer no banjo.

Gravou 8 LP’s, cinco CD´s, produziu e apresentou a série de programas “Jazz Connection” na Rádio Cultura FM. Criou, deu nome e liderou durante 20 anos o extinto Traditional Jazz Band original, considerado pela critica melhor Jazz Band estrangeira no Festival Internacional de Jazz Tradicional de New Orleans e com o qual tocou em 15 cidades nos U.S.A.; criou e dirigiu em São Paulo a lendária casa de Jazz OPUS 2004, tocou com expoentes máximos do Jazz norte-americano: Teddy Wilson, Oscar Peterson, John Pizzarelli, Louis Barbarin, Bob Wilber, Bob Haggart, Gus Johnson, Louis Nelson, Alvin Alcorn, e outros.
Tocou JAZZ TRADICIONAL a convite de figuras exponenciais da musica brasileira como Hermeto Paschoal, Elis Regina, e com o Maestro Diogo Pacheco, que elogia seu trabalho.
Instruiu e orientou nos caminhos do Jazz toda uma geração de jovens jazzistas.
Recebeu da Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro o diploma de Pioneiro do Jazz Tradicional no Brasil.
Apresenta-se regularmente com seu Tito Martino Jazz Band, em Shows, Concertos, Workshops, Palestras/Concerto, programas de TV, em Clubes, Centros Culturais, Teatros, Auditórios, Empresas e em Festivais de Jazz no Brasil e no exterior.
Assista o vídeo de divulgação!